Li as 100 primeiras páginas de: Dragões de Éter - Caçadores de Bruxas



   Da fantasia produzida aqui no Brasil, eu conheço muito pouco (e me arrependo muito disso). Para não dizer que não li nada, eu li 'A Batalha do Apocalipse', do Eduardo Spohr. Posso adiantar aqui pra vocês que gostei muito do livro e valeu a pena ter lido.

Resolvi continuar a ler autores BR e fui ler Raphael Draccon, autor mais polemico que religião em uns grupos ai do Facebook. Copiando descaradamente o modelo que vi em outros blogs por ai, li 100 paginas do primeiro livro da trilogia Dragões de Éter, o Caçadores de Bruxas.

"Ah, mas por que você não começou com o novo livro dele?" você pode perguntar. Porque eu preferi começar pelo que mais vejo pessoas comentando.

 Dadas as devidas explicações, vamos ao post:





Mas afinal, o que é esse Dragões de Éter mesmo?
Nova Ether é um mundo protegido por poderosos avatares em forma de fadas. Um dia, porém, cansadas das falhas dos seres racionais, algumas delas se voltam contra as antigas raças. Usando de ódio e maldade essas fadas abandonam a boa magia branca e se tornam bruxas possuidoras da terrível magia negra. Essa influência e esse temor sobre a humanidade só têm fim quando Primo Branford, o filho de um moleiro, reúne o que são hoje os heróis mais conhecidos do mundo e lidera a histórica e violenta Caçada de Bruxas.
Fonte: Skoob
O resumo ai de cima, conta como é a base do mundo de Dragões de Éter. Mas o mundo não é apenas isso, claro. Existe uma historia bastante complexa por trás disso tudo. Mas isso, pelo menos até onde li, foi o essencial.

E é bom?

Logo de cara o que mais me chamou atenção é que a narrativa é como uma conversa. "Como assim uma conversa?" Assim, como estou fazendo com você o tempo todo. A ~~ vibe ~~ do livro é bem essa: Narração divertida, diálogos descontraídos e tal.
O problema principal da narrativa, na minha opinião, é que por vezes o narrador "vai embora". Exemplo: Ele tá explicando uma cena e alguém faz menção a algo, aparece algo ou alguém etc. Ele para o acontecimento e vai explicar. No entanto esse tipo de explicação toma muito tempo de leitura. É como estar em uma conversa entre amigos mesmo. Você começa com um assunto e termina falando outro completamente diferente. O problema aqui é que temos uma história pra ser contada, né?




Fables. Na horas vagas também
é a HQ com as capas mais lindas do mundo
Outra coisa bastante legal: Referencias! Vocês já leram Fables? Fables é um quadrinho em que as fábulas (chapeuzinho, lobo mal, branca de neve.. Essa galera aí) vivem no mundo real. Na HQ tem toda um como elas viviam lá no mundo das histórias, chamado de 'mundo das fábulas'. Ao ler Dragões de Éter, a sensação foi bem essa: ler uma história dos personagens de Fables no mundo das fábulas.
O modo como o Draccon inseriu as fábulas ali naquele universo foi bem interessante. Ressalto o narrador explicando porque uma velhinha mora no meio da floresta, logo no primeiro capitulo.
Trecho incrível logo no primeiro capitulo.
Fora isso temos várias referencias a filmes, livros, bandas e todas essas coisas que a galera acha legal.

Os personagens tem seus lados psicológicos muito bem trabalhados, ainda mais os personagens adolescentes. Todas aquelas dúvidas, apreensões, medos de serem julgados... Tudo de um modo bem adolescente. Um problema que notei é que o narrador as vezes participa tanto do enredo que os personagens não tem assim tanto espaço. Você passa mais tempo em uma história que aconteceu a alguns anos atrás do que conhecendo mais aquelas pessoas.



Acredito que apenas 100 páginas não seja o suficiente para julgar uma obra. Muito menos uma trilogia. Essas foram apenas minhas primeiras impressões e foram boas. No entanto o livro não me prendeu de um modo que precise devora-lo agora mesmo.


Nota: Se você tem um ebook ou livro e gostaria que ele aparecesse aqui, entre em contato! (obs::Livros de Fantasia e Scifi, pfvr)

Pessoal, comentem se vocês gostaram do post e curtam a página do Rota6 no facebook
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

4 comentários

Escrever comentários
Marcos Átalo
AUTHOR
5 de fevereiro de 2015 09:53 delete

Eu não conheço este quadrinho, é bom?
O primeiro livro da trilogia é, realmente, bem "mais ou menos", mas o segundo já melhora um pouco as coisas. E o terceiro é muito bom.
Vale a pena, eu acho, investir na trilogia!

nacasadoslivros.blogspot.com

Responder
avatar
5 de fevereiro de 2015 10:24 delete

Então, Marcos, eu adoro fables. Não é atoa que li 70 e tantos números. Parei mesmo porque enjooei.
Acho que do Draccon, eu vou ler outros livros. Fora da trilogia, mais recentes. Talvez assim eu consiga gostar do trabalho dele

Responder
avatar
21 de fevereiro de 2015 13:12 delete

Eu li esse livro a pouco tempo e odiei. A forma como ele narra me deixou de saco cheio e parecia que eles estava escrevendo para um criança q não pensa por só só. Comprei a trilogia todo e me arrependi. Mas enfim... eu devia ter ouvido os avisos dos outros (inclusive os comentários das pessoas desse grupo que você citou u.u)

bookshelfnerd.blogspot.com.br

Responder
avatar
21 de fevereiro de 2015 14:27 delete

ahssha Realmente é bem isso mesmo. Eu vi muita gente falando mal mas me senti obrigado a ler ele pra saber se era tudo assim mesmo.

Responder
avatar